Projetos

Iniciativa Territórios

A Iniciativa Territórios é uma aliança entre a HUMANA e a ECAM com foco no desenvolvimento territorial inclusivo, justo e sustentável. Desde 2016 atua com diversas empresas e territórios do país.

 

  • Mas o que é Desenvolvimento Territorial?

 

Pra gente, é um desenvolvimento que seja inclusivo e centrado nas pessoas, que tenha caráter multidimensional e integrado e que nele seja enfatizado a intersetorialidade e a governança compartilhada. Para isso, apoiar a estruturação de territórios a partir do fortalecimento das capacidades dos atores locais é fundamental.

 

  • Temos princípios claros

 

A gente acredita que o desenvolvimento não deve deixar ninguém pra trás. Isso quer dizer que quando atuamos num território, estudamos a sua situação, quem faz parte desse lugar e quais são suas dinâmicas para chegar às soluções mais eficientes e reais para aquele contexto. Sempre partindo de princípios norteadores como:

–       Ética

–       Participação e co-construção

–       Transparência

–       Autonomia 

–       Fortalecimento das capacidades institucionais locais

–       Fortalecimento da Democracia

 

  • Sabemos o que queremos

 

Sabemos que o Desenvolvimento Sustentável será alcançado quando todos, sem exceção, puderem entrar em ciclos de desenvolvimento duradouros. Para isso acontecer, acreditamos que a cooperação entre atores (empresas, poder público, comunidades, movimentos sociais organizados) deve focar em fortalecer capacidades locais que gerem autonomia de pessoas, organizações e territórios.

 

  • Quais elementos estruturam esse caminho?

 

  • Participação
  • Planejamento
  • Autonomia
  • Capacidades Institucionais
  • Transparência

 

  • Como fazemos

 

Cada território é um território e cada demanda é uma demanda. Trabalhamos a partir de alguns passos:

  1. Queremos entender: fazemos um estudo de território integrando vários elementos.
  2. Criamos estratégias: com empresas ou outros atores do território com foco no Investimento Social Privado, pensando sempre em como fortalecer capacidades locais para gerar autonomia local.
  3. Implementamos essas estratégias: com uma agenda estratégica definida, nós desenvolvemos programas macro-estratégicos (planos, governança, articulações multiatores, marcos), executivos e de campo (atividades de campo, articulações locais, relatórios, facilitação de processos).
  4. Em alguns casos, desenhamos mecanismos financeiros: para que essa agenda estratégica tenha resultados à curto, médio e longo prazos, o repasse de recursos privados para comunidades é fundamental. Como que a atuação de uma empresa pode alavancar desenvolvimento e construir um legado no território? Soluções como essas são criadas para responder a essa questão e para que sirvam como promotor de um instrumento de gestão territorial para o desenvolvimento sustentável.

 

 

  • Mas quanto tempo dura?

 

São processos que podem durar de 6 meses a 15 anos, dependendo do objetivo e do conjunto de etapas a serem desenvolvidas. Importante é entender que, para trabalhos que envolvem territórios, o tempo de algumas processos é determinado pela dinâmica de cada localidade, pois é preciso articular atores, entender demandas, obstáculos e oportunidades, que todos os atores se apropriem do processo e se engajem, entre outras coisas.

 

  • E quem é que faz?

 

Temos uma equipe multidisciplinar de especialistas que atuam de forma integrada para que a gente tenha análises de cenários mais reais e para que a gente consiga desenhar estratégias mais efetivas. Esses profissionais são mulheres e homens de diversas formações, com experiências de mais de 7 anos anos na área e que atuam em diversas regiões do Brasil.

Além disso, nossas equipes de campo moram nas regiões ou localidades onde atuam. Essa escolha faz com que tenhamos vários ganhos:

–       Entendemos melhor a realidade local.

–       Criamos vínculos e engajamento com a comunidade local mais efetivos e duradouros.

–       Temos maior eficiência na execução e articulação local, pois fazemos parte da dinâmica local.

–       Formamos e damos oportunidades de trabalho para pessoas que vivem aquela realidade local, tendo coerência com aquilo que buscamos: fortalecimento de capacidades locais e geração de autonomia.

 

Para saber mais entre em contato com a gente pelo email humana@humana.net.br

Território ODS – Agenda 2030 para territórios

Território ODS é um programa da HUMANA que ressignifica a Agenda 2030 da ONU, ao oferecer instrumentos e ferramentas de planejamento estratégico, de governança e de relacionamento para os vários atores locais construírem uma agenda de desenvolvimento territorial com base nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Como a Agenda apresenta temas transversais, sua implementação efetiva exige uma articulação intersetorial e ações concretas de todos os atores sociais e deve ser empreendida no nível internacional, nacional, regional e local. Isso cria a oportunidade de construir novos modelos de desenvolvimento, implicando num esforço conjunto entre poder público, setor privado e sociedade civil.

Os potenciais da territorialização da Agenda 2030 são:

  • Fomentar articulação intersetorial com objetivo na melhoria da qualidade de vida nos territórios.
  • Introduzir uma cultura de planejamento, monitoramento e avaliação de políticas públicas locais.
  • Direcionar o Investimento Social Privado para ações estruturantes e transformadoras nos territórios.
  • Fortalecer processos participativos e entre vários atores sociais com vistas à construção de uma agenda de desenvolvimento comum de curto, médio e longo prazos.
  • Promover o Desenvolvimento Territorial Integrado.
  • Transformar realidades pela sustentabilidade.
H_TerritórioODS (3)

Foto da capa: Ricardo Lisboa/ Yantra Imagens

Valor ODS – Agenda 2030 para organizações

Valor ODS é um programa da HUMANA que ressignifica a Agenda 2030 da ONU, ao oferecer instrumentos e ferramentas de planejamento estratégico, de governança e de relacionamento para empresas e outras instituições construírem uma agenda de sustentabilidade estratégica com base nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. 

Ele é composto de 5 etapas, de acordo com o processo estabelecido pela ONU, o SDG Compass

Nosso objetivo é, ao integrar a agenda ODS à estratégia da empresa, agregar valor ao negócio, do ponto de vista dos resultados operacionais e financeiros, mas também agregar valores e princípios à atuação de cada setor, área ou departamento da organização, envolvendo gestores e colaboradores nesse processo de incorporação da agenda, trazendo um novo sentido para a função e papel de cada um. 

H_ValorODS.

Fundo Quilombola – Criação de um Mecanismo Financeiro Comunitário para territórios quilombolas no Pará.

Fundo Quilombola

Criação de um Mecanismo Financeiro Comunitário para territórios quilombolas no Pará.

O Fundo Quilombola busca a construção de um modelo de governança voltado para a gestão territorial, vinculados a mecanismos financeiros que conta com a existência de um amplo processo de planejamento, democrático e participativo.

Com objetivo de promover o desenvolvimento territorial integrado de médio e longo prazo na região da Calha Norte do estado do Pará, o Fundo Quilombola foi criado para que os territórios possam receber recursos para subsidiar as ações do Plano de Vida, instrumento de gestão territorial utilizado pelos quilombolas, construídos e e aprovado nas comunidades. Os Planos de Vida consideram as demandas mais urgentes de cada comunidade dos territórios quilombolas.

O Fundo Quilombola e os Planos de Vida são frutos de uma parceria da Humana com o Programa Territórios Sustentáveis, a ECAM – Equipe de Conservação da Amazônia a Mineração Rio do Norte, a USAID e a Arqmo – Associação de Remanescentes Quilombolas do Município de Oriximiná.

Parceiros

ECAM – Equipe de Conservação da Amazônia
Programa Territórios Sustentáveis
USAID
Mineração Rio do Norte
Arqmo – Associação de Remanescentes Quilombolas do Município de Oriximiná

Diagnóstico Participativo Local – Formação prática para a equipe do Sesc Nacional com ferramentas metodologias para Diagnóstico Participativo Local.

Diagnóstico Participativo Local

Formação prática para a equipe do Sesc Nacional com ferramentas metodologias para Diagnóstico Participativo Local.

Com o objetivo de formar a equipe do Sesc Nacional e Sesc Ler como facilitadores para a condução de processos de diagnóstico local participativo realizados pela organização, a HUMANA desenvolveu o curso prático de 4 dias para 45 pessoas, nas cidades de Belém e Benevides (PA), em dezembro de 2018.

Capacitação com foco na prática

Nossos processos formativos são  fundamentados numa abordagem de aprendizado através da prática, com 20% de conteúdo teórico e de 80% de conteúdo prático e experiencial:

Conteúdo teórico: Fundamentos do Diagnóstico Local Participativo, visão geral do processo e elementos, apresentação das abordagens e ferramentas.
Conteúdo prático: Experimentação e aplicação das abordagens e ferramentas do Diagnóstico Local Participativo, sistematização das informações e comunicação de resultados.

Metodologias participativas e ferramentas “sob medida”

A HUMANA possui em seu repertório diversas ferramentas e metodologias participativas, incluindo: ferramentas de planejamento participativo, técnicas de formação e integração de grupos, ferramentas de coleta de informações, facilitação de diálogo e rodas de conversa, investigação, análise de contexto,  representação gráfica  e comunicação visual.

Clientes e parceiros com os quais desenvolvemos formações similares

ESCAS – Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade / Instituto Ipê
Centro de Formação e Pesquisa do Sesc-SP
FGV-SP
Vale
Umapaz

Iniciativa Territórios – A construção de uma nova estratégia para o desenvolvimento territorial integrado.

Desde 2016 a HUMANA e a ECAM vem atuando na construção de estratégias, modelos, mecanismos de gestão e governança territorial integrada e comunitária. Fruto desta experiência e da parceria entre uma organização que propõe um novo modelo empresarial e uma organização do terceiro setor, surgiu a Iniciativa Territórios.

O objetivo da Iniciativa Territórios é construir estratégias para o Desenvolvimento Territorial que seja inclusivo e centrado nas pessoas; que tenha caráter multidimensional e integrado; que nele seja enfatizado a intersetorialidade e a governança compartilhada. Para isso, apoiar a estruturação de territórios a partir do fortalecimento das capacidades dos atores locais é fundamental.

O modelo se apresenta como uma solução eficiente e inovadora, pois propõe que todos os atores de um mesmo território tenham uma perspectiva comum, construam ou fortaleçam as capacidades necessárias, e implementem ações para o desenvolvimento integrado de curto, médio e longo prazos, gerando autonomia e sustentabilidade.

Como atuamos

A Iniciativa Territórios é composta por 6 macro-ações que visam o fortalecimento de capacidades locais a serem desenvolvidas:

  • Pactuações, diagnósticos e mapeamento de atores locais.
  • Fortalecimento institucional das associações e formação de lideranças.
  • Gestão Territorial (incluindo Planos de Vida e instrumentos financeiros comunitários).
  • Apoio às Políticas Públicas para o desenvolvimento.
  • Inclusão Digital Comunitária.
  • Apoio do Desenvolvimento Econômico e das Cadeias Produtivas da Sociobiodiversidade.

Para as empresas

Na perspectiva da empresa, esta abordagem integrada e a forma participativa como são conduzidos os processos locais da Iniciativa Territórios, são elementos-chave para o engajamento de atores locais, o que favorece o real desenvolvimento territorial e pode oportunizar a melhoria do relacionamento empresa/comunidade.
Aprimorar o modelo integrado de investimento social em territórios impactados por grandes empreendimentos, garantindo eficiência e retorno para o negócio, mas com o objetivo final de que cada pessoa, cada comunidade, tenha condições de desenvolvimento e oportunidades para uma vida melhor, a partir das realidades de cada lugar.

Para os territórios

Na perspectiva dos territórios, oportuniza o fortalecimento de capacidades e autonomia. Além disso, gera eficiência e equidade num processo de desenvolvimento sustentável, onde o território ocupa o lugar central: para a eficiência nos investimentos, para o uso dos recursos, para a execução das ações; para a equidade dos benefícios, para o acesso a oportunidades, para a inclusão de cada pessoa e cada setor da sociedade.

Clientes

USAID
Cargill
Hydro